Longa, rápida e extremamente manobrável, Jeffreys Bay sempre foi considerada uma das melhores ondas do mundo. Localizada na província do Cabo Oriental, na África do Sul, suas direitas são o sonho de qualquer regular-footer!

A onda leva o nome da cidade litorânea onde se encontra – Jeffreys Bay – e é dividida em diferentes seções. Kitchen Windows, Magna tubes, Boneyards, Supertubes, Impossibles, Tubes, Point e Albatross. Supertubes é sem dúvidas a seção mais desejada e disputada. Quando se pensa em Jeffreys, se pensa em Supertubes. Uma boa onda nessa seção pode correr por mais de 200 metros. Em alguns raros dias é possível conectar de Boneyards direto até o Point, totalizando quase 800 metros!

A melhor época do ano é durante os meses de inverno – entre maio e setembro – época do ano que a temperatura da água raramente ultrapassa os 15 graus. Do lado de fora, a temperatura pode variar entre agradáveis 20 e terríveis 4 graus. O vento constante faz com que a sensação de frio seja ainda pior, e botinhas e gorro de neoprene são uma necessidade por aqui.

Em J-Bay o domínio é dos regulares, e Jordy Smith é sempre um dos favoritos. Foto: Trevor Moran / Red Bull Content Pool

Jeffreys Bay foi surfado pela primeira vez em 1964, apesar de ter sido descoberto em 1959 pelo surfista explorador sul-africano John Whitmore. A onda vizinha no cabo de São Francis apareceu no clássico do cinema “Endless Summer”, mas foi quando uma reportagem da revista Surfer apresentou J-Bay como uma alternativa mais constante e confiável que o pico ficou famoso.

Série entrando na baía. Foto: WSL

A vida marinha é abundante em Jeffreys Bay. Golfinhos são vistos quase que diariamente, e tubarões brancos são muito comuns. Em 2015 o australiano Mick Fanning foi atacado por um possível tubarão em um episódio televisionado para todo o mundo durante a disputa de uma etapa do circuito mundial. Apesar de ataques fatais terem acontecido – como em 2013, quando um homem de 74 anos foi morto por um tubarão branco – Jeffreys Bay não é o lugar mais perigoso na África do Sul quando se diz respeito aos dentuços. Cabo de São Francis, que fica a pouco mais de 30 quilômetros ao sul de J-Bay, tem um histórico muito mais trágico de ataques.

Competição em Jeffreys Bay

De 1996 até 2011, Jeffreys Bay recebeu em todos os anos uma etapa do circuito mundial. Foi em 2014 que a etapa sul-africana voltou ao tour, vencida por Mick Fanning. Depois de não ter um vencedor oficial na edição de 2015 (o “encontro” com o tubarão aconteceu durante a final entre Mick e Julian Wilson), Fanning retornou à África do Sul em 2016 para vencer o título da etapa. A hegemonia dos regular-footer no pico é clara, e entre os campeões da etapa estão Kelly Slater, Joel Parkinson, Andy Irons, Taj Burrow e Jordy Smith. 

Foto da capa: WSL

COMPARTILHE